Publicado em Deixe um comentário

NATIONAL DAY OF THE BOOK: THE STRENGTH THAT THE PRINTED WORDS POSSESS

In Brazil the National Book Day is celebrated on October 29th. Being a set of sheets written or printed with the purpose of passing and registering an idea, books are essential objectives for the entire cultural evolution of a society.

There were times when some ideas recorded in books were symbols and tools of revolutions in certain countries. So small, but so important, the books have already been burned, buried, torn by clusters of people who disapproved of such printed ideas. Sign, this, without taking advantage of ideologies, the strength that words have.

The date of the 29th was chosen to commemorate the National Book Day because it is when the National Book Library was founded in the year 1810 by the Portuguese crown, which was responsible for bringing the first bibliographic collection to the country , coming directly from the Royal Portuguese Library, with more than 60 thousand objects composed of manuscripts, maps, books, coins and medals.

There are several genres of books, such as romance, suspense, drama, fiction, self-help, religious, documentary, school, among others. It is worth remembering that in order to publish a book, it is necessary to have a publisher who buys the idea of publishing the material of a certain author, but can also be done independently as, for example, in Amazon or even the new ones. -books that came to stay. That is, there is now a greater democratization in the publication of books.

With Gutenberg the first impression of a serial book was made due to its creation: the typographic press that gave origin to Gutenberg Bible with exact 642 pages and a circulation of 200 copies. This historical moment was marked as the passage from the Medieval Era to the Modern Era.

“Marília de Dirceu” was the first work published in Brazil. Its author, Tomás Antônio Gonzaga, had his book read by the emperor beforehand so that it was certified that the ideas contained therein were in agreement with what the Brazilians could read, already presenting traces of censorship that would last for years in the social political scene Brazilian.

In the year 1925, with the founding of Companhia Editora Nacional, editor and writer Monteiro Lobato, Brazil began to have more possibilities for editorial growth.

For the Instituto Irmãos Nogueira to foster culture is essential. There are more than 1,200 children assisted in our projects and our first goal is to transform lives based on the assumption that education is paramount to achieving these goals.

Book of pedagogical coordinator Jorge Felipe Columá portrays a nucleus of the Irmãos Nogueira Institute:

Entitled “Sentinela da Cidadania: actors and authors in the life of the favela,” the book speaks of affirmative action in communities with practical examples involving a community in Rio de Janeiro where there is a core of the IIN. For those who want to know and buy a copy is available at: www.jorgecoluma.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicado em Deixe um comentário

DÍA NACIONAL DEL LIBRO: LA FUERZA QUE LAS PALABRAS IMPRESAS POSEEN

En Brasil se conmemora el día 29 de octubre el Día Nacional del Libro. Siendo un conjunto de hojas escritas o impresas con el objetivo de pasar y registrar una idea, los libros son objetivos esenciales para toda la evolución cultural de una sociedad.

Hubo tiempos en que algunas ideas registradas en libros fueron símbolos y herramientas de revoluciones en determinados países. Tan pequeño, pero tan importante, los libros ya fueron quemados, enterrados, rasgados por conjuntos de personas que desaprobaban tales ideas impresas. Señal, éste, sin tomar partido de ideologías, de la fuerza que las palabras poseen.

La fecha del 29 fue elegido para conmemorar el Día Nacional del Libro porque es cuando la Biblioteca Nacional del Libro fue fundada en el año 1810, la corona portuguesa, que por cierto, era responsable de traer la primera colección de libros para el país que procede directamente de la Real Biblioteca portuguesa, con más de 60.000 objetos compuestos de manuscritos, mapas, libros, monedas y medallas.

Hay varios géneros de libros, tales como romance, suspenso, drama, ficción, autoayuda, religioso, documental, escolar, entre otras. Es importante recordar que para publicar un libro, actualmente, es necesario tener una editorial que compre la idea de publicación del material de un determinado autor, pero también puede ser hecho de forma independiente como, por ejemplo, en la Amazon o incluso los nuevos y -books que vinieron para quedarse. Es decir, actualmente existe una mayor democratización en la publicación de libros.

Con Gutenberg se dio la primera impresión de un libro en serie debido a su creación: la prensa tipográfica que dio origen a la Biblia de Gutenberg con exactas 642 páginas y una tirada de 200 ejemplares. Este momento histórico quedó marcado como el paso de la Era Medieval a la Era Moderna.

“Marília de Dirceu” fue la primera obra publicada en Brasil. Su autor, Tomás Antônio Gonzaga tuvo su libro leído pero emperador previamente para que fuera certificado que las ideas allí contenidas estaban de acuerdo con lo que los brasileños podrían leer, ya presentando rasgos de una censura que duraría años a hilo en el escenario político social brasileño.

En el año 1925, con la fundación de la Compañía Editora Nacional, del editor y escritor Monteiro Lobato, Brasil empieza a tener más posibilidades de crecimiento editorial.

Para el Instituto Hermanos Nogueira fomentar la cultura es esencial. Son más de 1.200 niños asistidos en nuestros proyectos y nuestro primer objetivo que es el de transformar vidas parte del presupuesto que la educación es primordial para alcanzar tales metas.

El libro del coordinador pedagógico Jorge Felipe Columá retrata un Núcleo del Instituto Hermanos Nogueira:

El libro habla de las acciones afirmativas en las comunidades con ejemplos prácticos involucrando a una comunidad de Río de Janeiro donde hay un núcleo del IIN, titulado como “Centinela de la Ciudadanía: actores y autores en la vida de la favela”. Para quien desee conocer y comprar un ejemplar está a la venta en: www.jorgecoluma.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicado em Deixe um comentário

Dia Nacional do Livro: A força que as palavras impressas possuem

No Brasil se comemora no dia 29 de outubro o Dia Nacional do Livro. Sendo um conjunto de folhas escritas ou impressas com o objetivo de passar e registrar uma ideia, os livros são objetivos essenciais para toda a evolução cultural de uma sociedade.

Houve tempos em que algumas ideias registradas em livros foram símbolos e ferramentas de revoluções em determinados países. Tão pequenino, porém tão importante, os livros já foram queimados, enterrados, rasgados por conjuntos de pessoas que desaprovavam tais ideias impressas. Sinal, este, sem tomar partido de ideologias, da força que as palavras possuem.

A data do dia 29 foi escolhida para se comemorar o Dia Nacional do Livro porque é quando a Biblioteca Nacional do Livro foi fundada, no ano de 1810, pela coroa portuguesa, que a propósito, foi a responsável por trazer o primeiro acervo bibliográfico ao país, vindo diretamente da Real Biblioteca Portuguesa, com mais de 60 mil objetos composto por manuscritos, mapas, livros, moedas e medalhas.

Existem diversos gêneros de livros, tais como romance, suspense, drama, ficção, autoajuda, religioso, documentário, escolares, entre outras. Vale lembrar que para se publicar um livro, atualmente, é preciso ter uma editora que compre a ideia de publicação do material de um determinado autor, mas também pode ser feito de forma independente como, por exemplo, na Amazon ou até mesmo os novos e-books que vieram para ficar. Ou seja, atualmente existe uma maior democratização na publicação de livros.

Com Gutenberg se deu a primeira impressão de um livro em série devido a sua criação: a prensa tipográfica que deu origem à Bíblia de Gutenberg com exatas 642 páginas e uma tiragem de 200 exemplares. Este momento histórico ficou marcado como a passagem da Era Medieval para a Era Moderna.

“Marília de Dirceu” foi a primeira obra publicada no Brasil. Seu autor, Tomás Antônio Gonzaga teve seu livro lido pero imperador previamente para que fosse certificado que as ideias ali contidas estavam de ‘acordo’ com o que os brasileiros poderiam ler, já apresentando traços de uma censura que duraria anos a fio no cenário político social brasileiro.

No então ano de 1925, com a fundação da Companhia Editora Nacional, do editor e escritor Monteiro Lobato, o Brasil começa a ter mais possibilidades de crescimento editorial.

Para o Instituto Irmãos Nogueira fomentar a cultura é essencial. São mais de 1.200 crianças assistidas nos nossos projetos e nosso primeiro objetivo que é o de transformar vidas parte do pressuposto que educação é primordial para se alcançar tais metas.

Livro do coordenador pedagógico Jorge Felipe Columá retrata um Núcleo do Instituto Irmãos Nogueira:

Intitulado como “Sentinela da Cidadania: atores e autores na vida da favela”, o livro fala das ações afirmativas nas comunidades com exemplos práticos envolvendo uma comunidade do Rio de Janeiro onde há um núcleo do IIN. Para quem desejar conhecer e comprar um exemplar está a venda em: www.jorgecoluma.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *