Publicado em Deixe um comentário

Professor de projeto social Faixa Preta de Jesus explica como a sua história de superação ajuda na orientação de crianças

Thiago Lucas, de 24 anos, é um exemplo de superação para muitas crianças que são assistidas pelo Instituto Irmãos Nogueira. Antes de se tornar professor do próprio Instituto, ajudando a crianças e jovens do Projeto Social Faixa Preta de Jesus, Thiago, mais conhecido como Mamute, passou por momentos terríveis devido as suas escolhas de vida. Se antes Thiago Mamute vivia sem direcionamento, viciado em crack e envolvido com o crime, hoje, depois de ter chegado ao Faixa Preta de Jesus, com a apenas 38kgs, por conta das drogas, o professor reconhece o bem que o projeto social fez à ele e segue no caminho de conscientização das crianças e jovens que são assistidas.

Sua ideia é mostrar a eles o caminho certo e do bem para que eles não tenham que passar pelo o que ele passou. “Eu mesmo já tive experiência de vida de passar pelo vício, pela droga e pela criminalidade e hoje eu estou ensinando a estas crianças a não entrarem por este caminho porque eu sei que foi um caminho difícil e atrapalhou muito a minha vida e minha família. Fui usuário de crack, me envolvi com o crime, mas eu dei a volta por cima. Eu percebi que isso não estava sendo bom para mim e hoje eu estou podendo usar a minha experiência de vida para ajudar as crianças e traçar outro caminho para eles. Eu estou conseguindo mostrar o caminho do certo e o errado para eles”, conta Thiago Mamute.

Thiago chegou ao Instituto há sete anos e passou por todos os processos que todas as crianças e jovens passam. Estudam, aprendem uma profissão, cuidam da saúde e são motivadas a encontrarem nas dificuldades ainda mais motivação para manterem suas vidas no caminho certo. “Pois, por mais que as adversidades possam nos encontrar, o mais importante são as escolhas honestas que você faz”, ressalta.

Atualmente, Thiago Mamute é faixa marrom de Jiu-Jitsu e dá aulas para as crianças do Instituto Irmãos Nogueira. Para Ricardo Cavalcante, gestor do projeto do núcleo de Nova Iguaçu, o mais importante quando uma pessoa chega no projeto é cuidar do corpo, da alimentação, do espírito dele. Assim, depois se começa a pensar em artes marciais. “O importante para a gente é que esta pessoa fique longe das drogas e do crime, pois não adianta a gente preparar uma pessoa para ser excelente em artes marciais se ele não for usar para o caminho do bem!”, avalia.

Publicado em Deixe um comentário

Ex-traficante é ressocializado por meio do projeto Faixa Preta de Jesus do Instituto Irmãos Nogueira

Em meio a tantas notícias ruins que diariamente somos confrontados nos principais noticiários do país, algumas delas nos fazem ter fé que os projetos sociais têm uma extrema importância na vida das comunidades. É uma realidade que o Rio de Janeiro está sitiado. O tráfico, as drogas e a violência estão matando como se fôssemos um país em Estado de Guerra.

Por mais que a nossa guerra seja velada, há trabalhos que estão sendo feitos incessantemente em busca de regeneração. São pessoas que acordam todas as manhãs com fé que seus trabalhos podem resgatar ao menos uma vida do crime. E quando isso acontece é um motivo de felicidade não somente para quem está à frente dos projetos sociais, mas para todos os familiares desta vida que agora tem a chance de seguir em frente como um cidadão de bem.

No Faixa Preta de Jesus não é diferente. Situado em Nova Iguaçu, este projeto social tem como principal objetivo retirar homens, mulheres e até mesmo crianças que estão à margem da sociedade, contribuindo para que o crime continue a fazer vítimas. De acordo com o gestor do projeto, Ricardo Cavalcante, o caso do Marlon Zandonight é mais um idêntico aos que vemos todos os dias na televisão, ex-traficante que, além de vender drogas, também estava envolvido com assaltos e outros crimes.

No entanto, este caso começa a se diferir dos demais a partir do momento em que Marlon começou a participar, há cerca de seis meses, do Faixa Preta de Jesus. “Primeiro estou ensinando a ele a viver, as competições e as artes marciais, para a gente agora não é importante, primeiro estamos cuidado do corpo dele, dos dentes, da sua alimentação, da alma dele, do espírito, para depois pensarmos em competir. O importante é ele estar aqui dentro longe do tráfico, do crime, das drogas e do assalto, entende? Este é o mais importante. Ele tem treinado Jiu-Jitsu e MMA, mas primeiro temos que fazer uma coisa bem feita porque não adianta ter um super atleta de luta que continua a praticar crimes”, revela Ricardo.

Hoje, Marlon deixou as armas de lado e está sendo resocializado. Sua mãe Andreia, está muito feliz com esta nova fase da vida de seu filho Marlon: “meu filho estava me dando muito trabalho se envolvendo com drogas, com pessoas erradas, com o tráfico e eu estava sofrendo muito com isso, não dormia mais, passei a ter pressão alta, vivia atrás dele na rua. Ele me deixava muito triste com isso, mas hoje meu filho está há seis meses no projeto e se tornou um novo menino, um novo rapaz, regenerado e socializado novamente. Na nossa família agora todos acreditamos nele novamente. Eu agradeço muito ao pessoal deste projeto porque, graças a Deus a este projeto, espero que ele continue assim no caminho do bem”, avalia Andreia.

Para fazer o cadastro no Projeto Social Faixa Preta de Jesus, basta procurar a sede do mesmo, situada na Av. Gov. Roberto Silveira, 1050 – Centro, Nova Iguaçu – RJ. Menores de idade devem estar acompanhados de um responsável; acima de 18 anos comparecer levando xerox da identidade, CPF e comprovante de residência. Crianças, a partir de 8 anos, e adolescentes devem levar todos estes documentos e mais a declaração escolar. Todos os procedimentos são gratuitos, além de todo o material. Para mais informações ligue para (21) 3488-5928.